Ministério da Saúde recomenda segunda dose de reforço contra a Covid-19 para idosos acima de 60 anos

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O Ministério da Saúde recomenda uma segunda dose de reforço da vacina Covid-19 para a população com 60 anos ou mais. A nova orientação está em uma. A partir de agora, estados e municípios já podem começar essa etapa da campanha nacional de vacinação para esse público.

De acordo com a orientação, a segunda dose de reforço deve ser aplicada com o imunizante da Pfizer ou com as vacinas da Janssen e Astrazeneca, independentemente da dose utilizada anteriormente. O intervalo deve ser de quatro meses após a primeira dose de reforço. Com a nova recomendação, 24,2 milhões de brasileiros acima de 60 anos estão aptos para se imunizar com a segunda dose de reforço.

CONTINUE LENDO...

Até então, a segunda dose de reforço era recomendada apenas para idosos acima de 70 anos, imunocomprometidos, além das pessoas com mais de 60 anos que vivem em instituições permanente. Estudos mostraram que essa estratégia aumenta em mais de cinco vezes a imunidade uma semana após a aplicação.

Para que a logística de vacinação aconteça, estados e municípios devem seguir a nova orientação de acordo com a disponibilidade de doses. Para isso, devem ser priorizadas as faixas etárias mais avançadas, com 90 anos de idade ou mais, seguida de 80 a 89 anos e assim sucessivamente, até que todos os idosos sejam contemplados com o segundo reforço.

Ministério da Saúde

VER MAIS

VER MAIS