Porto, em Portugal, recebe 6ª edição do Círio

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Missa em homenagem à Nossa Senhora de Nazaré reúne comunidade paraense no Norte do país

Pelo sexto ano consecutivo a cidade do Porto sedia celebração para a Padroeira da Amazônia, com missa que acontece na manhã de domingo, às 11h (hora local), mesmo horário de saída da Grande Procissão do Círio de Nazaré, às 7h (hora de Brasília), na Catedral Metropolitana de Belém. A missa será realizada pelo padre português José Paulo, no Conventinho do Contumil, local que sediou todas as edições da celebração paraense.

CONTINUE LENDO...

A missa tem organização de paraenses que vivem em várias cidades de Portugal e este ano recebe a Imagem de Nossa Senhora de Nazaré da designer Ingrid Macêdo, que fez o manto especial para o Círio em Portugal.

O músico paraense Paulo Pereira é quem vai tocar as canções marianas, que podem ser acompanhadas através do QR Code a seguir.

O Círio dos paraenses no Porto acontece às 11h – 7h no Brasil, no Conventinho do Contumil.

MÚSICAS DO CÍRIO NO PORTO

MARIA DE NAZARÉ

Maria de Nazaré, Maria me cativou
Fez mais forte a minha fé
E por filho me adotou

Às vezes eu paro e fico a pensar
E sem perceber, me vejo a rezar
E meu coração se põe a cantar
Pra Virgem de Nazaré

Menina que Deus amou e escolheu
Pra mãe de Jesus, o Filho de Deus
Maria que o povo inteiro elegeu
Senhora e Mãe do Céu

Maria que eu quero bem, Maria do puro amor
Igual a você, ninguém
Mãe pura do meu Senhor

Em cada mulher que a terra criou
Um traço de Deus, Maria deixou
Um sonho de mãe, Maria plantou
Pro mundo encontrar a paz

Maria que fez o Cristo falar
Maria que fez Jesus caminhar
Maria que só viveu pra seu Deus
Maria do povo meu

NOSSA SENHORA

Cubra-me com seu manto de amor
Guarda-me na paz desse olhar
Cura-me as feridas e a dor me faz suportar
Que as pedras do meu caminho
Meus pés suportem pisar
Mesmo ferido de espinhos me ajude a passar
Se ficaram mágoas em mim
Mãe tira do meu coração
E aqueles que eu fiz sofrer peço perdão
Se eu curvar meu corpo na dor
Me alivia o peso da cruz
Interceda por mim minha mãe junto a Jesus

Nossa Senhora me dê a mão
Cuida do meu coração
Da minha vida, do meu destino
Nossa Senhora me dê a mão
Cuida do meu coração
Da minha vida, do meu destino
Do meu caminho
Cuida de mim

Sempre que o meu pranto rolar
Ponha sobre mim suas mãos
Aumenta minha fé e acalma o meu coração
Grande é a procissão a pedir
A misericórdia o perdão
A cura do corpo e pra alma a salvação
Pobres pecadores oh mãe
Tão necessitados de vós
Santa Mãe de Deus tem piedade de nós
De joelhos aos vossos pés
Estendei a nós vossas mãos
Rogai por todos nós vossos filhos meus irmãos

Nossa Senhora me dê a mão
Cuida do meu coração
Da minha vida, do meu destino
Nossa Senhora me dê a mão
Cuida do meu coração
Da minha vida, do meu destino
Do meu caminho
Cuida de mim

Nossa Senhora me dê a mão
Cuida do meu coração
Da minha vida, do meu destino
Nossa Senhora me dê a mão
Cuida do meu coração
Da minha vida, do meu destino
Do meu caminho
Cuida de mim

VOIS SOIS O LÍRIO MIMOSO

Vós sois o lírio mimoso
Do mais suave perfume
Que ao lado do Santo Esposo
A castidade resume

Ó, Virgem Mãe amorosa
Fonte de amor e de fé
Dai-nos a bênção bondosa
Senhora de Nazaré!

Dai-nos a bênção bondosa
Senhora de Nazaré!

Se em vossos lábios divinos
Um doce riso desponta
Nos esplendores dos hinos
Nossa alma aos céus se levanta

Ó, Virgem Mãe amorosa
Fonte de amor e de fé
Dai-nos a bênção bondosa
Senhora de Nazaré!

Dai-nos a bênção bondosa
Senhora de Nazaré!

Vós sois a ridente aurora
De divinais esplendores
Que a luz da fé revigora
Nas almas dos pecadores

Ó, Virgem Mãe amorosa
Fonte de amor e de fé
Dai-nos a bênção bondosa
Senhora de Nazaré!

Dai-nos a bênção bondosa
Senhora de Nazaré!

E lá da celeste altura
Do vosso trono de luz
Dai-nos a paz e a ventura
Por vosso amado Jesus!

Ó, Virgem Mãe amorosa
Fonte de amor e de fé
Dai-nos a bênção bondosa
Senhora de Nazaré!

Dai-nos a bênção bondosa
Senhora de Nazaré!

NOSSA SENHORA DA BERLINDA

Porque eu tenho esperança e muita fé
Porque eu quero ter amor bem mais ainda
Porque te amo, Senhora de Nazaré
Quero puxar a corda de tua berlinda
Porque te amo, Senhora de Nazaré
Quero puxar a corda de tua berlinda

Ave, Ave, ó Senhora da Berlinda
Ave Maria este é meu grito de fé
Ave, Ave, Deus te fez a flor mais linda
Ave Maria, Senhora de Nazaré

Puxar a corda da berlinda é para mim
O compromisso de levar-te e te seguir
Pelos caminhos desta vida até o fim
E só fazer aquilo que Jesus pedir
Pelos caminhos desta vida até o fim
E só fazer aquilo que Jesus pedir

Ave, Ave, ó Senhora da Berlinda
Ave Maria este é meu grito de fé
Ave, Ave, Deus te fez a flor mais linda
Ave Maria, Senhora de Nazaré

Toda de Deus, por isso toda dos irmãos
Em ti a fé e a vida é uma harmonia
Sempre elevadas para Deus as tuas mãos
Também abertas aos humildes, ó Maria
Sempre elevadas para Deus as tuas mãos
Também abertas aos humildes, ó Maria

Ave, Ave, ó Senhora da Berlinda
Ave Maria este é meu grito de fé
Ave, Ave, Deus te fez a flor mais linda
Ave Maria, Senhora de Nazaré

Ó mãe querida, Senhora de Nazaré
Seguir teus passos é o bem maior que há
Ter-te por mãe é mais que o ouro todo até
És a alegria de teus filhos do Pará
Ter-te por mãe é mais que o ouro todo até
És a alegria de teus filhos do Pará

Ave, Ave, ó Senhora da Berlinda
Ave Maria este é meu grito de fé
Ave, Ave, Deus te fez a flor mais linda
Ave Maria, Senhora de Nazaré

Ave, Ave, ó Senhora da Berlinda
Ave Maria este é meu grito de fé
Ave, Ave, Deus te fez a flor mais linda
Ave Maria, Senhora de Nazaré

Ave, Ave, ó Senhora da Berlinda
Ave Maria este é meu grito de fé
Ave, Ave, Deus te fez a flor mais linda
Ave Maria, Senhora de Nazaré

NOSSA SENHORA DA PAZ

Maria de Deus

É bom estarmos juntos
Nesta mesa do senhor
E sentirmos sua presença
No calor do nosso irmão

Deus nos reúne aqui hoje
(Deus nos reúne aqui) em um só espírito
(Em um só espírito) e um só coração
É lindo, nê? (e um só coração)

Toda família vem
(Toda família vem) detalhe, olha pro lado!
Não falta ninguém (não falta ninguém)
Nesta comunhão (nesta comunhão)

Menos braços, solta a voz, é com a alma!
Com a mãezinha, diga!

E vem cantando entre nós
Maria de Deus, senhora da paz
E vem orando por nós
A mãe de Jesus

E vem, e vem, quero ouvir você, diga!

E vem cantando entre nós (cantando, cantando)
Maria de Deus (Maria de Deus)
Senhora da paz (senhora da paz)
E vem orando por nós
A mãe de Jesus

Maria, nossa mãezinha
Ela nos convida assim

Maria, nossa mãezinha
Nos convida à união
Sua presença nos une
Faz-nos sempre mais irmãos (mais irmãos)

Nossa senhora escuta
(Nossa senhora escuta) o nosso silêncio, a nossa oração
(O nosso silêncio, a nossa oração) é hoje, mãe
Me apresenta o filho, mãe (me apresenta o filho)
Que se dá no vinho (que se dá no vinho)
Que se dá no pão, eucaristia (que se dá no pão)

Erga as mãos, coro tem que ser com a alma
Juntos!

E vem, cantando entre nós (cantando)
Maria de Deus (Maria de Deus)
Senhora da paz (senhora da paz)
Diga, e vem (e vem)
Orando por nós (orando por nós)
A mãe de Jesus, tá lindo (a mãe de Jesus)

Isso, solta a voz e vem, e vem, juntos!

E vem cantando entre nós
Maria de Deus, senhora da paz
E vem orando por nós
(A mãe de Jesus)

Viva nossa senhora! (Viva!)

É CÍRIO OUTRA VEZ

Logo depois que setembro se despede do norte
Depois de ter derramado sobre o povo
Suas floradas de felizes expectativas
Eis que outubro chega trazendo em seus altares
A doce mãe de Nazaré
Ela que vem com suas mãos maternas
Prontas para abordar as almas paraenses
De alegrias e esperanças

Quando a vida faz nascer o mês de outubro
Eu descubro uma graça bem maior
Que me faz voltar no tempo e ser menino
E ao som do sino ver a vida amanhecer

Ver o povo em procissão tomando as ruas
Anunciando que é Círio outra vez
Que a Rainha da Amazônia vem chegando
Vem navegando pelas ruas de Belém

Corda que avança, o corpo cansa só pra alma descansar
E o meu olhar chorando ao ver o teu olhar em mim
Tão pequenina na Berlinda segues a recolher
Flores e amores que o teu povo quer te dar

Ó Virgem Santa, teu povo canta
Senhora de Nazaré
Tu és rainha e tens no manto
As cores do açaí

Soberana e tão humana
Tão mulher, tão mãe de Deus
Nossa raça, nosso sangue
Descendência que acolheu

O mistério encarnado
Continuas revelando
E por isso hoje é Círio outra vez

Ó Virgem Santa, teu povo canta
Senhora de Nazaré
Tu és rainha e tens no manto
As cores do açaí

Ó Virgem Santa, teu povo canta
Senhora de Nazaré
Tu és rainha e tens no manto
As cores do açaí

Quando a vida faz nascer o mês de outubro

EU SOU DE LÁ

Eu sou de lá
Onde o Brasil verdeja a alma e o rio é mar
Eu sou de lá
Terra morena que amo tanto, meu Pará

Eu sou de lá
Onde as Marias são Marias pelo céu
E as Nazarés são germinadas pela fé
Que irá gravada a cada filho que nascer

Eu sou de lá
Se me permite, já lhe digo quem sou eu
Filha de tribos, índia, negra, luz e breu
Marajoara, sou cabocla, assim sou eu

Eu sou de lá
Onde o menino deus se apressa pra chegar
Dois meses antes já nasceu, fica por lá
Tomando chuva, se sujando de açaí

Eu sou de lá
Terra onde outubro se desdobra sem ter fim
Onde um só dia vale a vida que eu vivi
Domingo santo que não posso descrever

Pois há de ser mistério agora e sempre
Nenhuma explicação sabe explicar
É muito mais que ver um mar de gente
Nas ruas de Belém a festejar

É fato que a palavra não alcança
Não cabe perguntar o que ele é
O Círio ao coração do paraense
É coisa que não sei dizer
Deixa pra lá

Terá que vir
Pra ver com a alma o que o olhar não pode ver
Terá que ter
Simplicidade pra chorar sem entender

Quem sabe assim
Verá que a corda entrelaça todos nós
Sem diferenças, costurados num só nó
Amarra feita pelas mãos da mãe de deus

Estranho, eu sei
Juntar o santo e o pecador num mesmo céu
Puro e profano, dor e riso, livre e réu
Seja bem-vindo ao Círio de Nazaré

Pois há de ser mistério agora e sempre
Nenhuma explicação sabe explicar
É muito mais que ver um mar de gente
Nas ruas de Belém a festejar

É fato que a palavra não alcança
Não cabe perguntar o que ele é
O Círio ao coração do paraense
É coisa que não sei dizer

Pois há de ser mistério agora e sempre
Nenhuma explicação sabe explicar
É muito mais que ver um mar de gente
Nas ruas de Belém a festejar

É fato que a palavra não alcança
Não cabe perguntar o que ele é
O Círio ao coração do paraense
É coisa que não sei dizer
Deixa pra lá

AVE MARIA DOS ANDORES

Ave Maria
Nos seus andores
Rogai por nós
Os pecadores

Abençoai essas terras morenas
Seus rios, seus campos e as noites serenas
Abençoai as cascatas
E as borboletas que enfeitam as matas

Ave Maria
Cremos em vós
Virgem Maria
Rogai por nós

Ouve as preces, murmúrios de luz
Que aos céus ascendem e o vento conduz
Conduz a vós
Virgem Maria
Rogai por nós
Rogai por nós
Os pecadores

Abençoai essas terras morenas
Seus rios, seus campos e as noites serenas
Abençoai as cascatas
E as borboletas que enfeitam as matas

Ave Maria
Cremos em vós
Virgem Maria
Rogai por nós

Ouve as preces, murmúrios de luz
Que aos céus ascendem e o vento conduz
Conduz a vós
Virgem Maria
Rogai por nós

Ave Maria

E ASSIM ELA VEM

Chegou o mês de outubro
E junto dele a fé vem se renovar
O amor e a fé em dose dupla
Devoção e aromas pelo ar

Cores e sabores tomam conta
Das ruas e dos rios do meu Pará
As pessoas se reúnem e festejam
Mas um círio acaba de chegar

E assim ela vem
Tão divina aos olhos do pai
Tão amada e tão presente
Fazendo o seu povo cantar

E assim ela vem
Tão divina aos olhos do pai
Tão amada e tão presente
Trazendo ao povo sua fé
Obrigada minha mãe de Nazaré

A procissão encanta
Semeando a vontade de ajudar
Cultuando a gratidão e a compaixão
Independente do que acreditar

E assim ela vem
Tão divina aos olhos do pai
Tão amada e tão presente
Fazendo o seu povo cantar

E assim ela vem
Tão divina aos olhos do pai
Tão amada e tão presente
Trazendo ao povo sua fé
Obrigada minha mãe de Nazaré

E assim ela vem
Tão divina aos olhos do pai
Tão amada e tão presente
Fazendo o seu povo cantar

E assim ela vem
Tão divina aos olhos do pai
Tão amada e tão presente
Trazendo ao povo sua fé
Obrigada minha mãe de Nazaré

VER MAIS

VER MAIS